quarta-feira, 10 de maio de 2017

Review - Persona 5


ÓÓÓÓ, o dia finalmente chegou, desde 2013 esperando após aquele anúncio de "Winter 2014", Persona 5 demorou, mas chegou, após um longo tempo de desenvolvimento e um atraso na localização.

Pra quem não sabe, Persona é uma série que começou como um JRPG comum, similar aos SMT, depois se tornou um "híbrido" de dating sim com JRPG. Ela é spin-off de Shin Megami Tensei, que já fiz um post falando sobre.

Faz quase 9 anos desde o lançamento de um Persona novo, não contando os diversos spin-offs e relançamentos de Persona 3 e 4, então a expectativa por Persona 5 estava enorme, assim como qualquer coisa hoje em dia, mas ele conseguiu satisfazer esse hype. 


A história é focada em um grupo de jovens que descobrem o "Metaverso", uma dimensão onde os pensamentos e atitudes negativas e perversas da população de Tóquio se manifesta em seres chamados de "Sombras". Alguns indivíduos, com uma visão mais maliciosa do mundo real, acabam manifestando "Palácios" no Metaverso, uma versão distorcida da realidade onde a sombra da pessoa é o "chefe" do local, por exemplo: um professor da sua escola, ex-atleta renomado que popularizou o time da escola, é um cuzão que faz o que quiser, ele se acha o dono da escola, no Metaverso, a escola se torna um castelo onde a sombra do professor é o rei.

Todo Palácio possui um tesouro, uma representação física dos desejos e pensamentos negativos do dono do Palácio, roubando esse tesouro, faz com que a versão real do sujeito se arrependa de duas atitudes, isso sem ter noção nenhuma do que aconteceu no Metaverso.

Os personagens principais despertam o poder da "Persona", uma manifestação física de sua alma no Metaverso, que são capazes de derrotar as sombras, graças a esses poderes, eles se tornam "The Phantom Thieves of Hearts", um grupo de "ladrões" capazes de "roubar" o coração das pessoas perversas de Tóquio e expor as injustiças desconhecidas e ignoradas pela sociedade.



Você controla um estudante recém transferido para escola Shujin, em Tóquio, após ser preso e processado por um crime que não cometeu e agora está em liberdade condicional. Após despertar o poder da Persona, o protagonista recebe o codinome "Joker" e se torna o líder dos Phantom Thieves.

Joker terá que ter uma vida dupla como estudante e "ladrão fantasma", você terá que equilibrar essas duas rotinas e fazer a sua missão de roubar um tesouro a cada mês dentro de um tempo limite. Sua rotina de ladrão se resume em invadir os Palácios, encontrar o local onde está o tesouro, roubar o tesouro e enfrentar a sombra do dono do Palácio.

Os Palácios são as dungeons do jogo, elas podem ser completadas em um dia quando não há nenhum "bloqueio" gerado pela história que te obriga a sair de lá, que só acontece em dois Palácios. Para os personagens encontrarem um Palácio, invadir e roubar o tesouro leva uns bons dias, onde você não pode fazer nada a não ser seguir a história, o que acaba sendo bem inconveniente, pois além de quebrar a sua rotina, dá pra sentir que não seria necessário gastar tanto tempo com isso, mas de qualquer modo, o jogo te dá tempo livre o suficiente pra que isso não seja tão problemático.



As dungeons de Persona 5 são muito legais de explorar, onde você deve achar rotas, atalhos e locais escondidos, enquanto enfrenta inimigos e resolve puzzles, também há um Palácio sem isso, o Mementos, uma dungeon grande que serve para fazer grind e sidequests. Durante a exploração dos Palácios, você encontra sombras que servem como guardas, você não deve ser avistado por elas e sempre atacar furtivamente, pois isso irá aumentar o "security level" do Palácio, atingindo 100% te obriga a sair do Palácio e deixar a exploração para outro dia.

Atacar uma sombra, ou ser atacado por uma, te joga num combate por turno bem padrão de Shin Megami Tensei, onde você deve explorar as fraquezas dos inimigos e buscar aproveitar um turno ao máximo e recompensa o jogador que sabe o que fazer. Porém, esse combate acaba se tornando até que fácil demais, é raro você entrar numa situação desafiante e a maioria dos chefes e subchefes acabam até sendo mais fáceis que alguns inimigos comuns. 

Falo isso da dificuldade Normal, não experimentei as outras ainda, as vezes que o combate estava difícil foi devido a alguns descuidos, mas digo isso sendo que já estou acostumado com Persona e Shin Megami Tensei, quem é novato pra série, e JRPGs em geral, pode ter uma dificuldade maior, principalmente nas duas primeiras dungeons.



Outro destaque de Persona 5, é a volta da mecânica de negociação, ao deixar todos inimigos vulneráveis, você pode conversar com eles, assim você pode pedir para eles lhe darem itens, dinheiro ou se tornarem uma Persona sua. Ao contrário dos outros personagens, Joker tem o poder de ter  diversas Personas, isso lhe dá um papel maior no combate e permite acesso a clássica mecânica de fusão.

Joker tem acesso a Velvet Room, um lugar "entre o sonho e a realidade", onde você pode fusionar suas Personas, criando Personas mais fortes. Persona 5 também possibilita que você transforme as Personas em itens e sacrificar Personas pra deixar outra Persona mais forte, possibilitando que você tenha uma "build" mais diversa para suas Personas.



Ok, muito divertido, mas vamos pro principal atrativo de Persona, a vidinha de estudante. Além de ir quase diariamente pra escola, você tem tempo livre pra gastar com diversas coisas: estudar, ler livros, jogar videogame, trabalhar, pescar, fazer exercícios e passar tempo com seus amigos, também conhecido como a parte mais legal.

"Confidants" é a nova mecânica que substitui o Social Link de Persona 3 e 4, basicamente, é a parte "dating sim" de Persona, que atrai bastante gente pra série. Você pode passar um tempo com algum amigo e desenvolver um história opcional onde você tem escolhas mínimas que ajudam a avançar o "Confidant" mais rápido.

Fora a história, você pode convidar a pessoa para ir em vários locais e dar presentes, o que também ajuda a desenvolver o Confidant mais rápido, desenvolver essa amizade não só avança essa "side story" como lhe garante uma vantagem na hora das fusões de certas Personas e habilidades extras nas dungeons e no combate, algumas habilidades são boas até demais. 

Mas no final das contas, a maior recompensa é passar mais tempo com os personagens e arrumar a sua namoradinha virtual, por mais que algumas dessas histórias não sejam muito interessantes, a maioria do elenco é bem carismático e são interessantes de conhecer.



Persona 5 pegou tudo que já funcionava nos Personas anteriores e deixou melhor, a parte de dating sim é bem melhor aplicada junto com o combate, as dungeons estão divertidas de explorar e o "gerenciamento" das personas está bem aprimorado. Fora que nem mencionei a parte visual e trilha sonora que estão sensacionais, que combinam muito com o clima elegante de um "Phantom Thief" e deixam o jogo bem estiloso.

Em termos de história principal, é discutível, acho que o jogo sempre consegue se manter interessante até o final, mas tem uns vacilos, acho que ele prende o jogador a muita explicação e algumas partes poderiam ser menores. E comparando a Persona 3 e 4, os eventos com o grupo, como os passeios e viagens, são poucos e não são divertidos, os Confidants acabam tendo eventos mais interessantes.

Mas independente disso, Persona 5 é um jogo fantástico que "esbanja" muito carisma e criatividade, com certeza essa longa espera e desenvolvimento foram bem gastas e criaram o melhor jogo da série Persona, e um dos meus jogos favoritos.

Nota: 9

Nenhum comentário:

Postar um comentário