sexta-feira, 28 de abril de 2017

Review - Final Fantasy XV


Após aquele gosto amargo que Final Fantasy XIII e suas 2 sequências desnecessárias (nunca joguei, só to papagaindo a opinião geral, mas as sequências foram desnecessárias mesmo), a série Final Fantasy entrou numa era meio morna, só saiam spin-offs, relançamentos e remakes mas nada de um jogo da novo mainline, não contando o XIV, que é MMORPG.

Foi uma grande espera até sair Final Fantasy XV, não havia nem muita ideia do que seria o título, tanto que pegaram a ideia de um spin-off de FFXIII, que tinha cara que nunca ia sair, e transformaram num jogo principal. 

FFXV foi lançado após um desenvolvimento complicado, então eu não esperava um jogo excelente, o que ele não é, mas estava com um hype ""cauteloso"" (até discutimos sobre o jogo antes do lançamento). Por mais que ele acerte em muitos aspectos, ele consegue errar no essencial.


Príncipe Noctis, do reino do Miojão.
Final Fantasy XV acompanha Noctis, o príncipe do reino de Lucis, que está em um momentâneo tratado de paz com o Império de Nilfheim. Para solidificar o tratado de paz e unir as nações, Noctis irá se casar com Lunafreya, uma oráculo e ex-princesa da província de Tenebrae. 

Noctis e seus 3 amigos, Gladiolus, Ignis e Prompto, estão em uma viagem de carro até o casamento, no meio do caminho, Nilfheim quebra a promessa de paz e ataca Lucis, é reportado que o rei, Noctis e Luna morreram nesse ataque, a partir disso, Noctis terá que entrar numa jornada para lutar contra o Império, reivindicar seu trono, encontrar a princesa e essas outras coisas de JRPG.


FFXV tem um clima de "road movie", você sai viajando de carro com seus amigos, explora o cenário, dá porrada em uns monstros, então Gladio faz um acampamento pro grupo, Ignis prepara alguma janta usando a carne de um bicho que vocês mataram e no fim da noite, todo mundo vê as fotos que Prompto tirou no meio da jornada. Noctis não faz nada de especial além de pescar e ser um filho da puta birrento.

Até aí tudo bem, apesar da maioria das sidequests, e até a main quest, se resumir em "vai lá matar aquele bichão", dá pra se divertir explorando os belos cenários gigantescos e as dungeons, por mais que o combate dentro de locais fechados seja meio bosta.



O combate de FFXV é algo estranho, você controla apenas o Noctis, os seus amigos são controlados por uma IA artificial e são decentes, mas você pode usá-los para mandar alguns golpes especiais. Noctis é "fácil de controlar", tem bastante movimento usando suas habilidades de teleportar pra certos pontos do cenário e para atacar inimigos, depois dá pra melhorar essas habilidades usando um sistema de skilltree, que possibilita outras melhoras além do combate.

Fora essa movimentação, não vejo muito atrativos no combate, por mais que haja um grande arsenal no jogo, nada deixa ele muito interessante, as batalhas geralmente são fáceis, e quando são difíceis, se tornam tediosas, pois o inimigo dá um dano gigantesco e tomba qualquer um do grupo, aí você tem que gastar aqueles bilhões de poções e outros itens de cura, mas é bem maçante ficar curando todo mundo toda hora. É até melhor deixar todo mundo morto e lutar sozinho, e de vez em quando ressuscitar um aliado pra usar alguma das habilidades.

Além dessa parte mais "física" do combate, você pode fazer algumas magias e usá-las nos inimigos, como se fosse um item que dá dano em área, o problema é que elas atingem o resto da equipe também, não sei quem foi o gênio que manteve essa ideia. Também há os summons, outra tradição de Final Fantasy, que viram apenas um "botão de emergência" que aparecem em certas condições, geralmente, quando tá todo mundo na merda ou a batalha está longa demais, por mais que a aparição da summons seja fantástica, como eles são usados é sem graça.



Agora o ponto mais fraco de FFXV acaba sendo sua história e personagens, não há quase nada de desenvolvimento, até mesmo a Luna, que deveria ser uma parte importante da história, não passa nada, nenhum personagem fora o grupo principal e o vilão são marcantes. Os 4 "protagonistas" são bons, principalmente o Noctis, as vezes falta algum desenvolvimento maior, tem algumas sidequests especificas para eles, mas o background deles está no anime Final Fantasy XV Brotherhood, e partes importantes da trama deles durante o jogo é separa em DLCs, essas DLCs são as partes mais absurdas possíveis.

As DLCs são focadas em Prompto, Gladio e Ignis, cada um deles recebe um "episódio especial", você vê que esses eventos acontecem no jogo, tipo, tem uma hora que Gladio diz:"gente, eu tenho que dar uma saída aí e uma hora eu volto" e deu. O pior que os outros personagens tem situações que afetam muito mais os personagens e nem são explicadas no jogo.

A história é uma puta bagunça também, o mundo de FFXV é muito interessante, a guerra, os deuses e outras partes da lore são fodas, mas a jornada de Noctis não cobre a maioria disso. É compreensível que a Square quis fazer um mundo "multimídia" com FFXV, mas o filme, anime, DLCs e seja lá mais o que eles lançaram, e lançarão, deviam servir de material extra, não partes mega importantes da história sendo cortadas que dificultam até o entendimento da toda a trama.


Cindy merecia mais do que isso.
A jornada de Noctis começa bem, mas entra num clima morno, com mais baixos do que altos, por um bom tempo e só volta a ficar interessante no final, após o tedioso capítulo 13. A maioria dos pontos altos de FFXV envolve os personagens principais do grupo, tanto que a cena mais emocionante do jogo, é a "Ultima Fogueira" no final do jogo, eles acabam sendo mais importante que toda a "épica história" de Final Fantasy.

Final Fantasy XV é sem dúvidas um "Final Fantasy", um jogo que lhe introduz a um novo mundo de fantasia que é divertido de explorar e descobrir sobre, a trilha sonora e gráficos são muito bons, assim como a série já é conhecida.  Mas infelizmente, o jogo é um enorme potencial desperdiçado por uma história interessante que é mal desenvolvida e dividida em babaquices trans mídias e DLCs, e algumas decisões de game design puramente idiotas.

O jogo vêm recebendo updates novos a cada mês, terminei ele antes do update com o capítulo 13-5 e não joguei mais, e provavelmente não jogarei. Talvez após um ano de updates, Final Fantasy XV seja um jogo melhor, então melhor esperar por uma versão completa com DLCs, ou uma versão de PC, talvez?


Nota:6

Nenhum comentário:

Postar um comentário